Posts Tagged ‘moda consciente’

Garimpar é preciso

08/11/2009

Há alguns posts falei sobre o “barato”, que é o novo básico da moda e, inclusive, dei várias dicas de compras, estão lembrados?

Pois então, aproveitei minha semana de férias da agência para bater perna por São Paulo – já que eu não consegui viajar, por conta das aulas da faculdade – e comprovei que é possível montar visuais bem legais e com pouca grana sim. Nem adianta reclamar, pois só se veste mal quem quer!

Primeira parada: Toco Sol

O Toco Sol é um mega brechó que está localizado na Rua Cardeal Arcoverde, 2098, em Pinheiros – São Paulo. Confesso que, logo que entrei no espaço, levei um grande susto, o lugar tem cara de brechó mesmo… Várias roupas apertadas em araras gigantes, muitas coisas com cara de guardadas mesmo e nada organizado, isso porque tem três ambientes e, diga-se de passagem, todos lotadíssimos de peças masculinas e femininas. Não comprei nada! Não que não tenha gostado, mas pra sair de lá com algo nas mãos eu precisaria passar no mínimo 3 horas garimpando ali – coisa que o calor insuportável não me deixou fazer. Até encontrei algumas camisas xadrez bem bonitas, mas ou ficavam grandes demais ou muito justas, sendo assim, não pude levar nenhuma.

toco

Pessoalmente não é tão organizadinho... fotos: divulgação

Segunda, terceira e quarta parada: Brechozinhos da Cardeal Arcoverde

Próximo ao Toco Sol tem vários outros brechós, eles são bem pequenininhos mesmo, mas muito mais organizados e limpos que o Toco Sol. Entrei só pra sentir o clima e comparar, já eram no mesmo quarteirão… Não avistei nada espetacular em nenhum deles, até há coisinhas legais, mas pouco ou quase nada masculino. Vamos para a próxima parada, por favor!

Quinta parada: Super Cool Market

Finalmente consegui visitar o Super Cool Market, uma espécie de fast fashion consciente. Já falei sobre a loja por aqui, então, dispensarei apresentações desta vez, ok?

Ao contrário dos brechós que visitei antes, o Super Cool Market tem um jeito bem fashion, uma coisa de modernidade mesmo. Sabe quando você pisa num lugar e sente um ar de novidade, de bacana? Foi exatamente isso o que senti! Super organizado e limpo, lá as peças têm cara, etiqueta e cheiro de novas.


Confesso que fiquei decepcionado com a pouca variedade das peças da ala masculina, mas entendi. Os homens movimentam em escala muito menor este tipo de negócio, é compreensível.

Entretanto, a parte feminina é recheada de opções. Alguma mulher aqui já pensou em comprar vestido Colcci por R$60, sandália Melissa por R$40 e vestido Isabela Capeto por R$70 reais? No Super Cool é possível! E, como eu disse: é tudo muito novo.

Para vocês terem ideia, encontrei um par da clássica Yellow Boot, da Timberland, por R$79 reais. Quase comprei, mas, resolvi experimentar e não gostei delas nos meus pés… Além do mais, seria difícil combiná-las. Resolvi não arriscar e perdi a oportunidade de aproveitar o descontão – as Yellow Boots custam mais de R$300 reais.

As famosas botas da Timberland

As famosas botas da Timberland

Além disso tudo, no Super Cool Market tem jaquetas, calças, coletes, blazers, vestidos, blusas, t-shirts, shorts, saias, sapatos, sandálias, tênis, bolsas, óculos… TUDO!

Aliás, há duas semanas, quando escrevi sobre óculos escuros, recebi alguns comentários citando o preço alto do acessório e, por isso, eu prometi dar umas dicas de óculos bons, confiáveis e por um preço justo. Ainda não vou fazer o prometido, mas acabei comprando óculos lindos no Super Cool Market e não poderia deixar de mostrar para vocês. São parecidos com o famoso Ray Ban Wayfarer, mas paguei R$65,90 – um preço amigo, não?

Meus novos óculos

Meus novos óculos

Só para comprovar que é fácil se vestir bem gastando pouco, vejam só o desafio que a Revista Criativa propôs pra Jana Rosa e pra Lívia. As blogueiras antenadas no mundo da moda receberam a tarefa de gastar apenas R$100 e, com isso, montar um visual bem bacana. Onde decidiram ir? Em brechós! Vamos ver quem ganhou a gincana fashion?

Eco fashion

13/09/2009

Com o avanço do aquecimento global e com o agravamento da crise econômica mundial, ficou em voga um conceito chamado SUSTENTABILIDADE, que significa algo ecologicamente correto, economicamente viável, socialmente justo e culturalmente aceito.

Muito se discute sobre o conceito de sustentabilidade, mas pouco se sabe o que realmente significa na prática. “É possível falar de moda e sustentabilidade ao mesmo tempo? Mas, a moda não é aquela vilã que mata animaizinhos indefesos para retirar-lhes suas peles e fazer casacos?” Se você se fez estas perguntas, ao se aproximar deste post, está na hora de mudar os seus conceitos, meu amigo.

Separar o lixo, plantar feijãozinho em potinho plástico e cultivar sua própria horta é essencial, mas não basta! Hoje já é possível, literalmente, vestir a camisa da sustentabilidade.

Atentos a este nicho de mercado, os estilistas e as grandes indústrias fashion resolveram tornar a moda sustentável acessível a todo público. Eles perceberam que, para isso, não basta apenas escrever “Save the Earth” ou “A Terra pede socorro” em camisetas comuns e, muito menos, somente apoiar o Greenpeace. É necessário se fazer sustentável de verdade! É preciso mudar os processos, alterar os meios e renovar a matéria-prima.

Quando imaginamos que seria possível usar camisetas feitas com fibra de garrafa pet? Pois é, nunca passou pela minha cabeça, quando eu tinha uns 10 anos, mas agora é possível e eu já tenho algumas camisetas assim. O tecido pouco se difere do 100% algodão e continuam confortáveis.

Hering básica sustentável

Hering básica sustentável

Hering feita com garrafa pet

Hering feita com garrafa pet

E usar tênis com solado de pneu? Quem pensou nisso? Roupas íntimas produzidas com fibras de bambu então? Esse eu aposto que ninguém imaginou.

Rainha Eco

Rainha Eco

Sneaker Adidas sustentável

Sneaker Adidas sustentável

Adidas Grün

Adidas Grün

Pois é, nós não pensamos nisso, mas pensaram por nós e, hoje, é mais do que possível comprar peças ecologicamente corretas.

Isso sem falar nas ecobags. Vocês sabem como funcionam, né? Não use sacolas plásticas ao ir ao mercado, leve sempre sua ecobag – feita em tecido ecologicamente correto ou em lona reciclada.

Ecobag na passarela da Louis Vuitton

Ecobag na passarela da Louis Vuitton

Grandes marcas como Adidas, Hering, Hope, Osklen, Timberland, Rainha e até Stella McCartney, estão fazendo sua parte. Os produtos são bem legais, mas os preços não são muito parecidos com os das peças normais, já que, geralmente, essas peças são produzidas em baixa escala. Para saber mais sobre o guarda-roupa sustentável, vale a pena ler esta matéria da Época.

Bota da Timberland - forro feito a base de garrafas pet e solado produzido com borracha reciclada

Bota da Timberland - forro feito a base de garrafas pet e solado produzido com borracha reciclada

Tênis da Osklen feito de Couro de Peixe - a parte não utilizável do peixe

Tênis da Osklen feito de Couro de Peixe - a parte não utilizável do peixe

Timberland ecologicamento correto

Timberland ecologicamento correto

Uma prova de que o uso da eco fashion é cada mais recorrente é o livro “Ecobags – Moda e Meio Ambiente” , um registro fotográfico  da exposição “Eu Não Sou de Plástico“, com sacolas não-descartáveis assinadas por grandes grifes e designers que teve a curadoria de Lilian Pacce.

Capa do livro

Capa do livro “Ecobags - Moda e Meio Ambiente”

A orelha do livro ficou na total responsabilidade de Oskar Metsavah, da Osklen, que escreveu: “Acredito que só é possível falar de sustentabilidade se houver união entre seus aspectos social, ambiental e econômico, um necessariamente exercendo influência sobre os outros, compondo um todo indissolúvel”.

E, para finalizar, uma frase célebre: “Sustentabilidade é uma palavra que não se sustenta se você não ficar em pé“. Alguém discorda?